terça-feira, 12 de maio de 2009

Jornada de Investigação “Reencontrar António Sérgio quarenta anos depois”

Data e local: 27 de Maio; Colégio do Espírito Santo, sala 124, Évora.

Passados quarenta anos sobre a morte física de um dos maiores vultos da cultura portuguesa do séc. XX, organizamos uma jornada de conferências sobre o pensamento e obra de António Sérgio, relevando o seu pensamento filosófico.

António Sérgio (1883-1969) foi um personagem fundamental do meio intelectual e cívico durante toda a primeira metade do século XX. Nos anos dez, e vinte, do século passado, a sua contribuição para o renovar do pensamento historiográfico foi determinante, bem como a sua actividade em torno da Pedagogia.

Durante a República e o Estado Novo, Sérgio manteve vivo o ideal do livre-pensador civicamente empenhado e sem paixões partidárias, defendendo o cosmopolitismo e o intelectualismo o qual preza acima de quaisquer interesses imediatos os valores do Espírito. Nas últimas décadas da sua vida dedicou-se ao desenvolvimento do cooperativismo, sistema económico no qual viu uma possibilidade de ultrapassar, sem catástrofes sangrentas, as contradições do Capitalismo.

Os seus Ensaios, publicados em oito volumes, constituem um marco na história da literatura e do pensamento vertido em língua portuguesa. O seu relativo apagamento da cena pública é resultado de uma pluralidade de factores e redunda em uma imensa injustiça e lesa a memória colectiva de todos nós.

Esta jornada de investigação e de homenagem contará com professores de várias Universidades portuguesas (ver programa).

Esta actividade é parte de um ciclo que contará com 3 outras conferências, organizadas também por João Príncipe (CEHFCi/UE), a realizar na Biblioteca República e Resistência (Lisboa), durante Maio e Junho.

3 comentários:

mangaka disse...

Para um trabalho de escola preciso pesquisar com profissionais sobre "o que é ciências para você?


eddy15_sg@hotmail.com

Carlos Pires disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Pires disse...

Porque é que António Sérgio é um dos maiores vultos da cultura portuguesa? Só se é porque havia (e há) muitos piores que ele...
António Sérgio só escreveu banalidades e num português horrível. Basta ver a tradução que fez dos "Problemas da Filosofia" de B. Russell.