domingo, 21 de janeiro de 2007

LER: Erasmo, a Renascença e o Humanismo

Esta biografia de Erasmo de Roterdão, publicada por Ivan Lins em 1997 na Editora Civilização Brasileira, é, no mínimo, surpreendente. Mais do que a simples história do homem que nos deixou O Elogio da Loucura e provavelmente as melhores reflexões sobre a necessidade de reforma da Igreja católica, é a história de toda uma Europa em mudança, toda uma crise de valores que preside ao nascimento de uma nova religião, e de todo o pano de fundo que anima a organização do movimento humanista na Renascença que nos é contada, com grande riqueza de pormenor e um rigor factual infelizmente raro nas obras que se destinam à instrução de públicos mais alargados. Erasmo aparece-nos aqui como a figura pivotal em torno da qual se tece toda a trama complexa da sociedade e da moral do seu tempo, de toda a geografia europeia dos séculos XV e XVI. Erasmo é, sem dúvida, um dos grandes espíritos que a humanidade produziu na sua caminhada, e o que já se escreveu a seu respeito forma em si mesmo uma biblioteca vastíssima. Mas Ivan Lins consegue escrever o ainda não escrito, detendo-se com habilidade e precisão sobre as ideias, os hábitos, os costumes e as dilacerações do período abrangendo, reconstruindo um espírito que chega por vezes a surpreender-nos pela sua riqueza e capacidade de questionamento das certezas herdadas. O livro está acessível em diversos alfarrabistas, e também pode ser encomendado on-line.

Sem comentários: