sexta-feira, 16 de dezembro de 2005

CONTEÚDOS: Matilde Bensaúde (1890-1969)

Este é o texto de uma curta entrada sobre Matilde Bensaúde que acabei de publicar na Wikipédia em português. Faz parte de um conjunto de notas biográficas sobre investigadores das ciências biológicas da primeira metade do século XX, produzidas no âmbito do Projecto PRINCIPIA, que iremos resumir e publicar na Wikipédia.

Matilde Bensaúde

Matilde Bensaúde (1890-1969). Portuguesa pioneira da investigação biológica. Doutorou-se em 1918 com uma tese muito original sobre a sexualidade dos Basidiomicetos. Nasceu em Lisboa em 1890, filha de Alfredo Bensaúde (1856-1941), o fundador e primeiro director do Instituto Superior Técnico de Lisboa. Concluiu os estudos secundários na Suíça em 1909.
Image bensaude-m
Matilde Bensaúde (1890-1969).
Iniciou os estudos universitários em Lausanne, mas interrompeu-os para voltar a Portugal, só os retomando em 1913, quando se matriculou na Universidade de Paris. Estudou ciências naturais, licenciando-se em 1916. Trabalhou para o seu doutoramento no Laboratório de Botânica da École Normale Supérieure, sob a direcção do Prof. Matruchot. A investigação de doutoramento resultou na tese Recherches sur le cycle évolutif et la sexualité chez les basidiomycètes (Nemours, 1918). Aí estabeleceu e demonstrou a noção de heterotalismo nos autobasidiomicetos, a ideia mais importante para a explicação do mecanismo da sexualidade dos basidiomicetos. Este trabalho, que decorreu durante a I Guerra Mundial, foi desenvolvido independentemente e em simultâneo pelo botânico alemão Hans Kniep (1881-1930), embora este só tenha publicado as suas conclusões sobre o heterotalismo dois anos depois de Bensaúde.

Em 1920, foi a única mulher entre os fundadores da Sociedade Portuguesa de Biologia. Passou a maior parte do período entre 1919 e 1923 nos Estados Unidos da América, para onde se foi especializar em Fitopatologia. Estes trabalhos foram interrompidos pela sua ida para os Açores, onde se estabeleceu de 1923 a 1926. Em 1928, entrou como investigadora para o Instituto Rocha Cabral, em Lisboa. Em 1931 foi convidada para organizar e dirigir a estrutura fitossanitária do Ministério da Agricultura, onde desenvolveu uma actividade muito intensa. Em 1940, com apenas 50 anos de idade, solicitou a rescisão do seu contrato no Ministério e retirou-se. Faleceu em 1969.

Bibliografia:
Quintanilha,A. Mathilde Bensaúde. 23-1-1890-22-11-1969. Boletim da Sociedade Portuguesa de Ciências Naturais. 13(1972)5-19.

Sem comentários: